Odontologia Humanizada

HUMANIZE seu consultório

Humanize seu consultório

Muitos têm a sensação de que trabalhar com Odontologia Humanizada é apenas acrescentar terapias alternativas e complementares ao tratamento convencional e olhar o paciente com acolhimento. Ou ainda, de forma mais errônea, pensar que é quando o dentista troca a alopatia por produtos naturais.
Através deste post venho esclarecer quais os pilares que sustentam a Humanização em Odontologia.
Trabalhar com o que realmente ama
Trabalhar com excelência
Trabalhar com amor, como se estivesse fazendo para você mesmo
São 3 pilares baseados no autoconhecimento do profissional.
Venho ressaltar que existe uma diferença muito grande entre autoajuda e autoconhecimento. A autoajuda é quando seguimos conselhos, técnicas, ferramentas elaboradas por pessoas que passaram por problemas semelhantes aos nossos ou por profissionais e que nos levam a um aprimoramento pessoal, uma força para prosseguir a um novo patamar.
Portanto a autoajuda vem através de conhecimentos adquiridos de fora para dentro, produzindo efeitos benéficos no indivíduo, mas por vezes com resultado temporário, paleativo.
Já o autoconhecimento é quando olhamos para dentro, nos observamos com sinceridade. É quando paramos de buscar as respostas fora e através da aceitação começamos a nos enxergar sem parâmetros externos como cultura, sociedade, família. É quando aprendemos SER antes de TER. É sair do campo da ilusão e entrar com os pés no chão na realidade. Um profissional que trabalha livre de temores, de falsas expectativas, que trabalha com amor porque se amou primeiro, aceitando-se como é, consegue aproveitar de forma muito mais assertiva, suas habilidades naturais, despertar outras que estão cobertas por crenças e temores. Consegue ter lucidez para enfrentar o que vier pela frente, tanto de bom, quanto de ruim e portanto e inevitavelmente oferecerá um excelente tratamento ao seu paciente, tanto a nível técnico quanto a nível de atendimento (pesquisem sobre método Disney) e consequentemente a diferenciação como profissional.
Mas para chegarmos neste equilíbrio, há um certo caminho a percorrer.
Humanização só pode ocorrer de forma personalizada, não robotizada, e para isso o profissional que oferece esse tipo de atendimento deve, antes de qualquer coisa, ser humano consigo mesmo. Se fortalecer para que possa ser realmente útil na vida de alguém, com um propósito maior de não apenas reconstruir sorrisos, mas também levar pessoas a ter motivos para sorrir.
Isso muda tudo….
Um grande abraço e até a próxima

A Humanização na Odontologia e sua relação com a Nutrição

vegetables-791892__340

Hoje, ao ler uma matéria da Folha de S.Paulo sobre pacientes que fizeram cirurgia bariátrica e tiveram sequelas graves em sua arcada dentária, incluindo a perda de todos os dentes, senti necessidade de falar um pouco mais sobre isso.
O caso dessa pessoa está associado, principalmente, às deficiências de cálcio e vitamina D decorrentes da cirurgia bariátrica e ela mesmo reconhece que houve negligência da parte dela, por não ter realizado os acompanhamentos médicos necessários.

Mas o negócio não para por aí. Sabemos que pessoas que sofrem de bulemia, devido aos constantes vômitos provocados, acabam tendo, entre outras reações, corrosões no esmalte dental significativas.

A lista é grande quando relacionamos deficiências nutricionais com a formação dos dentes e manutenção da saúde oral como um todo e portanto, nossa responsabilidade como Cirurgião dentista aumenta ainda mais.

ruler-1899028__340

Muitas vezes podemos ter insucessos em certos tratamentos e resultados pouco satisfatórios devido ao tipo de alimentação, hábitos e saúde geral de nosso paciente.

Por isso, a Odontologia Humanizada defende que a anamnese realizada em nosso paciente deve ser minuciosa, investigativa, incluindo pedido de exames complementares e que o cirurgião dentista deve ampliar seus conhecimentos e buscar parcerias, no caso aqui, com um Nutricionista, para fornecer ao nosso paciente, uma dieta adequada que favorecerá o fortalecimento das estruturas orais, bem como orientar de forma detalhada as consequências de seus maus hábitos.

Cabe também a nós dentistas humanizados, ter o discernimento e o bom senso de sugerir ao paciente que passe por uma consulta com um médico especialista ao detectar uma deficiência vitamínica, ou um distúrbio alimentar como anorexia, bulemia, obesidade, visando o bem estar geral do paciente e não apenas em resolver um problema dentário momentaneamente.

plant-690051__340

Nós temos consciência que a vitamina C é indispensável na manutenção do sistema imunológico e que mante-la em equilíbrio ajuda na saúde gengival. Também sabemos que a Vitamina D tem como principal papel o aumento da absorção dos minerais de cálcio e fósforo pelo intestino, principais elementos na formação dos dentes. Também colabora para a fixação do cálcio nas bases ósseas e elementos dentais. Que alimentos ricos em fibras contribuem para a saúde gastrointestinal e sua mastigação pode promover a limpeza dos dentes devido ao atrito em contato com eles, evitando a formação de placa bacteriana, e por aí vai, mas a pergunta é? Você costuma passar esse tipo de informação ao seu paciente?

teeth-1560353__340

O quanto você está preparado para isso? Minha dica é que se você não tem habilidades para falar sobre o assunto, consulte um nutricionista ou faça parceria com um, para que forneça informações relevantes e que você possa passar para seu paciente.

Pode ser feito em forma de Fôlder, ou mesmo impresso em papel timbrado e dado ao paciente durante a primeira consulta, agregando um valor inestimável ao seu atendimento.

O que achou da dica? Deixe sua opinião e experiência aqui nos comentários.
Para receber mais dicas de Humanização em Odontologia como essa, siga minha página no Facebook e assine minha Newsletter.

Um grande abraço

Priscila Ferreira
Cirurgiã-dentista e
professora do Curso de Odontologia Humanizada
cropped-cropped-cropped-DSC_7548.jpg

O USO DE FLORAIS DE BACH PARA CONTER A ANSIEDADE NA CADEIRA DO DENTISTA

Quando entrei na Faculdade de Odontologia, pretendia ser Odontopediatra, cuidar dos “baixinhos”. Porém, logo nos primeiros anos de formada me deparei com a dura realidade. Uma especialidade tão desvalorizada perto da sua real importância. Fiz alguns cursos de atualização em odontopediatria e não gostava dos métodos de contenção utilizados para manter as crianças imóveis para realizar o tratamento ou das técnicas intimidantes que colocavam medo até na gente. Definitivamente, não era o caminho que eu queria seguir. Mais tarde, e com a experiência e muita observação, notei adultos profundamente traumatizados com a cadeira do dentista. A ponto de simplesmente deixar a saúde bucal ficar em estado de calamidade.
Foi aí que a Humanização passou a fazer parte da rotina do dia a dia do meu Continue lendo

REIKI E HUMANIZAÇÃO ALIADOS NO AUXÍLIO PARA QUEM TEM MEDO DE DENTISTA

zahnreinigung-1514693_960_720
Olá amigo,

Neste post venho trazer um relato da Dra. Eliane Zeni, que é cirurgiã-dentista e aluna do curso de Odontologia Humanizada. Após seu relato sobre este caso em nosso grupo de estudos, pedi a ela que colocasse em palavras como foi sua experiência com a utilização de terapias complementares, no auxilio do tratamento para pacientes ansiosos ou com medo. Leia a seguir, o que ela tem para nos contar:

” Atendi em um domingo uma paciente que havia quebrado uma restauração em um dente anterior. Ela levou junto sua filha, que ficou esperando durante o atendimento. O curioso é que a filha não queria ir junto, recém tinham Continue lendo

O USO DE FLORAIS DE BACH EM ODONTOLOGIA

florais-de-bach-para-curar-se-1

O uso de terapias alternativas é umas das premissas da Odonto Humanizada.
Hoje venho falar um pouco sobre os Florais de Bach, que pode ser um grande aliado na hora de você realizar um tratamento dentário em algum paciente muito ansioso ou realmente apavorado, inclusive sendo muito útil no atendimento às crianças.
Dentro das essências florais algumas são dedicadas exclusivamente ao combate ao medo.
Por mais que eles não ofereçam tantos riscos, ainda é aconselhado que haja orientação profissional em seu uso e na escolha de qual tipo de floral utilizar.
No vídeo abaixo, faço uma entrevista com a Terapeuta Naturopata Edilaine Gomes Sellan, onde ela explica sobre Florais e passa uma receita Continue lendo

Quando as dificuldades começam a atrapalhar a conquista dos seus objetivos

kayaking-1149886_1920

Moro em uma cidade praiana e portanto, lotada neste carnaval. Hoje, sai logo cedo para dar uma remada, enquanto o congestionamento (até no mar), tornasse impossível a prática de algum exercício ao ar livre. Apesar de ser um canal, o mar estava mais agitado do que o normal, mas na ida, digamos assim, estava remando a favor da maré. Estava tudo tão lindo e perfeito. Céu azul, barulhinho do mar, tartarugas nadando, que maravilha. Na volta, tudo mudou de figura. Tive que literalmente remar contra a maré e comecei a “viajar” , na minha nova mindset.Como estava difícil chegar até onde eu tinha que chegar, tive que pensar em estratégias para não bater nas pedras, e remar o Continue lendo

Por que uso copo descartável em meu consultório?

Nas últimas duas décadas, o copo descartável passou a ser amplamente consumido nas empresas devido à praticidade, higiene e preço baixo. Este uso diário representa um problema a mais para o meio ambiente.

POR QUE USAMOS COPO DE VIDRO AO INVÉS DO DESCARTÁVEL ?

• O plástico não é um material biodegradável, portanto, é poluidor do meio ambiente;
• Demora em média 200 anos para se decompor;
• Sua vida útil é muito pequena, às vezes chega a durar 13 segundos após sair do display;
• Estão em números cada vez maiores nos aterros sanitários;
• Sua produção utiliza muita água e energia elétrica;
• O plástico provém do petróleo (fonte não renovável que demora anos para se formar);
• Há grande impacto ambiental na extração do petróleo;
• O poliestireno do copo descartável em contato com bebidas quentes libera o estireno, que é um monômero tóxico apontado com cancerígeno;
• Na produção do copo descartável a participação do poliestireno reciclado é mínima, desta forma todo copo descartável utiliza matéria-prima extrativa e não sustentável;
• Sua reciclagem consome muita água, além de ser muito trabalhosa e pouco viável.
Continue lendo